Apê de duas

Primeiro dia de uma vida inteira

10:50:00


Todo mundo já passou por aquele momento em que decide sair da casa dos pais para juntar as escovas de dentes com alguém ou, simplesmente, porque chegou a hora de dar tchau e caminhar com os próprios pés. Se você ainda não passou por esse momento, pode ter certeza que uma hora ele vai chegar.
Quando ele chega, é normal estar animado, mas ao mesmo tempo morrendo de medo de que tudo dê errado e você tenha que voltar com os rabos entre as pernas para a casa dos pais.

Comigo isso não foi diferente. Quando decidi sair da casa dos meus pais, foi muito mais por estar cansada, afinal não importa o quão velho você esteja se ainda está morando com seus pais, vai sempre ser tratado como uma criança, com satisfação, com cobranças e tudo o que vem no combo, claro. É óbvio que morar com eles tem tanta coisa boa que talvez você só enxergue depois de não tê-los mais tão presentes na sua rotina. É meus amigos, acordar com café pronto e chegar do serviço com a janta prontinha e cheia de amor, serão eventos raros na sua vida daqui pra frente.

Mas por outro lado, quando sai de casa, havia em mim um misto de "será que sou capaz" com "caralho, não acredito que vou ter meu canto"...São muitos sentimentos, mas o que eu mais me agarrei foi no sentimento de liberdade, liberdade em decorar cada pedaço do meu lar, liberdade de ir e vir, liberdade de fazer compras como e quando quiser...Enfim! Os benefícios são tantos!

Quando sai de casa, fui juntar também as escovas, mas ainda dividiria a casa com mais um amigo, ou seja, ainda não era uma vida de casada. Mas hoje, há um ano e pouco, agora é!

O primeiro dia que entramos no nosso apê de duas, a vontade inicial era chorar mesmo, chorar em posição fetal só de imaginar tudo o que ainda faltava conquistar e quanto tempo levaríamos até que tudo estivesse ajeitado. É importante contar que nosso apartamento é alugado, então, ainda tinha aquele gosto de "socorro, como vai ser daqui pra frente?". Esse é o segundo apartamento que moramos, mas é o primeiro que virou nosso lar de verdade, com nossa cara, com nossas decorações e somente com a nossa nova família.

Eu e a Ingrid, estamos juntas há quase 4 anos, mas moramos juntas há 1 ano e 8 meses, e posso dizer que desse tempo todo, somos outras pessoas. Morar fora da casa dos seus pais é transformador, mas criar sua própria família é ainda mais louco.

Quando chegamos no apê, já tínhamos bagagem e dois lindos cachorros, o Marvel e a Lisa. Mas ai você pergunta, cachorro no apartamento? Pois é menina, isso mesmo. Dois ainda, vira latas e de porte médio. Imagina? Sim, mais uma das razões que nos fez querer chorar muito quando chegamos aqui. Além disso, essa bagagem que tínhamos também foi fruto de muita luta, afinal saímos da casa dos nossos pais apenas com uma mala de roupas.

Na primeira mudança, precisamos de um caminhão para levar tudo o que tínhamos conseguido conquistar. Imagina o sentimento? Posso te garantir que sair do primeiro apê para morarmos juntas, só eu e ela e os doguinhos, foi realmente o primeiro dia de uma vida inteira.

E o que eu sei e quero dividir com vocês é que hoje, um ano e dois meses depois nosso lar tem cara, decoração e jeito de lar e por isso, finalmente, decidi dividir cada canto desse apezinho com vocês. Além de mostrar nossa decoração super cool e baratinha, mostrar que é possível sim você sair da casa dos seus pais, conquistando coisas e crescendo.

Vem comigo nessa aventura? 

Segue a gente no instagram também: 


Ah, se tiver curiosidades e dúvidas sobre aluguel, decoração e mudanças, comenta aqui e se também está vivendo essa aventura de "morar sozinho e junto", me conta como tem sido. Vamos dividir experiências e rir dessa aventura louca que é ser adulto! 



Abracinho.

Você pode gostar também de:

0 Comentários

Imagens e Créditos

A maioria das imagens usadas no blog ou são minhas ou foram baixadas do https://www.pexels.com/, uma plataforma que disponibiliza fotos licenciados sob a licença Creative Commons Zero (CC0). Isso significa que elas são totalmente gratuitas para serem usadas para qualquer finalidade legal.