Cinema e Séries

Resenha: Naomi, Ely e a lista de não beijos

19:15:00


Pôster de Divulgação


Direção: Kristin Hanggi
Com: Victoria Justice, Pierson Fode, Matthew Daddario, Ryan Ward
Gênero: Comédia, Romance
Data de Lançamento: 2

Sinopse: Amigos desde a infância, Naomi (Victoria Justice) e Ely (Pierson Fode) sempre passam todo o tempo juntos, mas a relação não ultrapassa de amizade, pois Ely é gay e em razão disso, os amigos resolvem criar uma lista de pessoas que eles não podem beijar, justamente para não estragarem a amizade. Porém, a regra não funciona bem quando Naomi e Ely se interessam pelo mesmo garoto e começam uma jornada de conhecimento sobre si mesmos e sobre sua amizade.


O filme que consagrou o quarto dia do ano foi "Naomi, Ely e a lista de não beijos". Confesso que o play foi dado sem grandes expectativas, afinal um filme bem adolescente não poderia trazer grandes reflexões para alguém que já passa dos 20, no entanto, para minha agradável surpresa, o filme tinha uma mensagem MUITO IMPORTANTE para transmitir.

Cena do filme | Divulgação


Ao longo de toda produção, fica quase impossível não desejar que Naomi e Ely fiquem juntos ao final, mesmo sabendo da sexualidade de Ely, os atores criaram uma ótima sintonia entre si e interpretaram uma amizade tão carinhosa que foi realmente muito difícil enxergar a linha tênue que dividia a amizade do amor entre os dois. Além disso, Naomi também tem uma enorme dificuldade em aceitar que Ely seja gay e acaba confundindo alguns dos seus sentimentos por ele.

No entanto, calando todas as expectativas de um casal, tanto as nossas quanto a dela, a mensagem do filme é exatamente essa: existem várias formas de amor e a amizade é, com certeza, uma delas, cheia de sensações, aprendizados e momentos únicos, divididos também com outra pessoa. Quando Ely se interessa por Bruce 2 (Ryan Ward), namorado de Naomi, as coisas entre eles saem completamente do eixo, pois Naomi descobre ter muito mais ciúmes de Ely do que do próprio namorado, além de estar completamente decepcionada com o amigo. Essa situação expõe, por completo, os sentimentos por trás dessa grande amizade e revela sua similaridade com uma relação amorosa, de fato.

Cena do Filme | Divulgação

Esse segundo momento do filme, retrata toda a falta da companhia um do outro e a dificuldade de perdoar uma traição como se fosse o término de um relacionamento amoroso mesmo, e eu achei essa a melhor parte da produção. Por fim, como um bom filme adolescente, a história tem desfechos bem clichês, mas garantem sua atenção com os textos da narrativa que são super leves e clichês, mas reflexivos a cerca da amizade e do amor que frequentemente fazem parte de nossas vidas. 

"As pessoas cometem o erro de deixar a beleza guiar a atração"


Assista ao trailer:




Antes que eu me esqueça, esse filme foi baseado no livro de mesmo novo "Naomi, Ely e a Lista de não beijos", escrito pelos autores David Levithan e Rachel Cohn. Então fica aí, a dica de leitura também, pra mim e pra você!


Ah, não esquece de postar seus filmes lá no instagram usando a hashtag #365filmesnaMadrugada pra eu saber como tá sendo seu projeto de 365 filmes em 365 dias, em 2017!

Abracinho!


Você pode gostar também de:

0 Comentários