Cinema e Séries

Resenha: Hurricane Bianca

22:00:00


Pôster de Divulgação
Direção: Matt Kugelman
Com: Roy Haylock (Bianca Del Rio), Rachel Dratch
Gênero: Comédia
Data de Lançamento: 2016

Sinopse: Interpretando o professor nova-iorquino, Richard, Bianca Del Rio (Roy Haylock) mostra a que veio em uma produção atual e engraçada que acontece na pequena cidade do Texas. O professor muda toda sua vida para lecionar em uma escola onde acaba demitido por ser gay. Para se vingar, Richard retorna ao cargo como Bianca, uma mulher cheia de atitude e raiva. 


Confesso que comecei o filme sem ter ideia de quem era Bianca Del Rio e muito menos que ela era uma drag/atriz tão sensacional. Sério, estou há horas de boca aberta com seu humor e com sua beleza também. Enfim, a dragqueen Bianca Del Rio ficou muito conhecida por sua vitória na 6ª temporada de RuPaul's Drag Race, mas eu só tive o prazer de conhecê-la hoje. (em que mundo eu vivo?????

O filme "Hurricane Bianca", de início, não prendeu muito minha atenção, pois parecia mais o começo de um besteirol americano, mas QUE BOM, QUE BOM que eu dei a mim mesma a chance de continuar assistindo. Quando não consegue ser efetivado na escola na qual é professor substituto, Richard Martinez (Roy Haylock, o artista por trás de Bianca) recebe uma proposta de emprego para atuar em uma pequena cidade do Texas. Sem pensar muito, o personagem abandona sua vida atual para buscar nessa cidade, uma nova chance de viver a vida que sonhava.


Cena do filme | Divulgação

O problema começa, e foi exatamente quando eu comecei a ficar vidrada no filme, quando Richard começa a ser "investigado" pela sua antagonista, a vice-diretora Deborah Ward (Rachel Dratch), homofóbica e fanática, que descobre sobre sua sexualidade. A produção do filme é um tanto quanto caricata no que diz respeito a homofobia, mas ela consegue pintar o quadro exatamente como ele é sentido. Richard é demitido do emprego mais uma vez, dessa vez por ser gay, e descobre que sua casa foi invadida por seu vizinho homofóbico. Ou seja, tudo desmorona mais uma vez diante dos seus olhos. 

Sem saber o que fazer, Richard encontra em uma amiga transexual (Bianca Leigh) um estímulo para continuar, e acaba por criar Bianca para se vingar de seus alunos e colegas de trabalho preenchendo a vaga como a nova professora da escola. Com uma atuação impecável e extremamente bem humorada, Bianca Del Rio mostra aos alunos a que veio e consegue dia após dia, eliminar os insultos e colocar cada um em seu devido lugar. A eficácia de seu trabalho é logo notada pelo Diretor da escola que a indica para o prêmio de Professora do Ano e ai meus queridos, ai é lição atrás de lição e boas risadas. 

Cena do filme | Divulgação

Se você quer saber o que acontece com Richard, a cidade cheia de preconceito e seus amigos, na moral, reserva um tempinho na sua agenda e corre para a Netflix, porque tem esse filme lindo liberado lá. Ah, respira fundo no começo, porque o filme não é um campeão no quesito "produção artística" e aguarda, porque ainda assim é uma produção que vale muito a pena para se divertir, distrair e, porque não, refletir também.

Depois de assistir, volta aqui e me conta o que achou, porque por mais caricato que tenha sido a produção, um filme que carrega uma dragqueen como protagonista é MUITO REPRESENTATIVO SIM e, com certeza, REPRESENTATIVIDADE IMPORTA!


Assista ao trailer: 





Boa maratona pra você.
Abracinho.





Você pode gostar também de:

0 Comentários

Imagens e Créditos

A maioria das imagens usadas no blog foram baixadas do https://www.pexels.com/, uma plataforma que disponibiliza fotos licenciados sob a licença Creative Commons Zero (CC0). Isso significa que elas são totalmente gratuitas para serem usadas para qualquer finalidade legal.