Cinema e Séries

Resenha: Eu não faço a menor ideia do que eu tô fazendo com a minha vida

10:28:00



Pôster de Divulgação do Filme


Direção: Matheus Souza(2013)
Com: Clarice Falcão, Rodrigo Pandolfo, Leandro Hassum
Gênero: Comédia/Drama

Sinopse:  Clara (Clarice Falcão) está indecisa em relação às suas escolhas. A jovem está cursando a faculdade de Medicina por pressão familiar e não por vocação. Sem contar para ninguém o que está sentindo, ela passa a matar aulas no período da manhã. Durante essas aventuras matutinas, Clara conhece um rapaz que a ajuda a encontrar um norte para sua vida.


A busca por nossos talentos e por nós mesmos 

Todo mundo gostaria de ter uma fórmula mágica para saber exatamente qual caminho trilhar, qual profissão seguir, como se comportar diante dos problemas e cobranças. Mas a verdade é que a gente mal sabe o que vai ter amanhã de almoço, quem dirá se a faculdade que vamos cursar será a que predestinará nossa vida até o final.

O caso acontece com frequência e, ainda que de forma mais lúdica, é bem representado por Clara, recém-matriculada no curso de Medicina. A menina não faz ideia mesmo do que está fazendo da própria vida e ao longo do filme vai buscando alternativas que possam lhe mostrar qual o caminho a seguir, afinal.

Muitas críticas ao filme classificaram ele como fraco, mas eu gostei muito dos ângulos de filmagem, me lembraram até os longas europeus, e da trilha sonora e também o classifico como uma produção interessante para os amantes do modelo indie norte-americano, que é muito bem explorado no roteiro.


Cena do filme | Divulgação

Falando em trilha sonora, a discografia do filme me encantou mais que tudo, pois reuniu algumas das bandas e dos músicos que eu mais gosto, o que é muito difícil de acontecer, porque eu normalmente aprecio músicas mais alternativas. Sendo assim, a trilha é preenchida por Marcelo Camelo, A Banda Mais Bonita da Cidade, Silva, Phillip Long, Pélico, Hidroco e muito mais que você pode conferir no Spotify!

Já a estrutura de gravação que, provavelmente foi realizada com uma verba reduzida, deixa muito a desejar, embora os ângulos sejam bem pensados, a fotografia não é das malhores e a crítica ao uso das novas tecnologias também é uma vertente interessante, mas muito pouco aprofundada.

Cena do filme | Divulgação

Apesar de todos os pesares, o filme conclui sua narrativa de maneira bem amarrada, todos os anseios e medos de Clara, por fim descobrem-se comuns e inerentes a todos nós. Por isso, eu garanto, você com certeza irá se identificar com cada medo da personagem e também com seus passos tão errantes, mas tão respeitosos aos seus desejos e vontades.

A fórmula para saber qual o caminho trilhar? Essa você não encontrará em roteiro algum, mas é sempre bom ter um filme para se distrair dessa e de outras preocupações com o futuro.

Aproveita que já está aqui e assiste o trailer:

Espero que tenham gostado e refletido um cadinho.
Abracinho!

Você pode gostar também de:

0 Comentários