Cinema e Séries

#ÉFADA E O FENÔMENO KÉFERA NAS TELONAS

23:58:00


PÔSTER DE DIVULGAÇÃO DO FILME

KÉFERA - É FADA 

Direção: Cris D'Amato (2016)
Com: Kéfera Buchmann, Klara Castanho, Charles Paraventi
Gênero: Comédia
Status: Nos cinemas

Duração: 1h25min

Sinopse: Após se dar mal em uma série de trabalhos, a fada tagarela e atrapalhada Geraldine (Kéfera Buchmann) recebe a missão de ajudar a jovem Júlia (Klara Castanho). A garota vive com o pai e acaba de trocar de colégio. Ela tem dificuldade de lidar com os novos colegas e não é nenhum pouco popular na escola. A fada tentará mudar isso, ajudando em sua vida social e amorosa.


O que as críticas à youtuber e ao filme revelam sobre nós

Todos nós queremos ser reconhecidos por algo que fazemos, seja na escola, no trabalho ou na vida de modo geral, quando nos dedicamos a algo, desejamos com todas as forças que ele seja um sucesso e, mais que isso, alcance a muitas pessoas, como forma de inspiração. Eu mesma, escrevo na ansiedade de que um dia alguém seja tocado pelas minhas palavras e, que de algum modo, eu consiga transformar alguns minutos da vida desse alguém.

                Utopia? Talvez.

CENA DO FILME | DIVULGAÇÃO

Talvez todos nós sejamos um pouco parecidos com a Júlia, que tinha uma vida bem sossegada até ser colocada de frente com situações com as quais ela não era acostumada. Envolvida em meio a meninas ricas e mimadas, a personagem de Klara Castanho se sente deslocada e acaba caindo em uma armadilha, mais conhecida como “tentar ser como os outros”, junto com Geraldine, personagem de Kéfera, que também não aprendeu a lição.

Talvez nós sejamos o personagem deslocado que vive enxergando nos likes do instagram do outro, uma saída para nossas frustrações e para os nossos problemas. Talvez a gente se espelhe no raso que conseguimos alcançar da vida dos outros e por isso, deixamos que o lado humano seja simplesmente ignorado, agindo muitas vezes como completos idiotas.


CENA DO FILME | DIVULGAÇÃO
A vida imita a arte e o longa #ÉFada, inspirado no best-seller Uma Fada Veio me Visitar, de Thalita Rebouças, não fugiu desse clichê e representou muito bem a realidade de muitas meninas que hoje, na fase mais complicada da vida (adolescência), tentam se encaixar a todo custo, ignorando seus sentimentos e, até mesmo, suas vontades. Júlia representa muitos de nós que, com certeza, já tentamos nos encaixar em algum lugar, seja escola, trabalho, família, amigos, e nos sentimos completamente fracassados ao ir contra a nossa própria essência. Tudo em busca de um reconhecimento irreal.

FOTO DIVULGAÇÃO
O filme, ao contrário do que ouvi e li por aí, também tem um ótimo roteiro e uma fotografia muito bem produzida pelas ruas do Rio de Janeiro, onde foi filmado. Mas mais do que isso, ele "revelou" um lado que sempre existiu em Kéfera, a atriz por trás do Youtube. Essa "nada surpreendente" revelação trouxe consigo uma enxurrada de críticas e várias manchetes, baseadas em um sensacionalismo pra lá de barato. Afinal, a youtuber é formada em teatro e sempre atuou muito antes da internet e, além disso, agora voltamos ao início desse texto “todos nós queremos ser reconhecidos por algo que nos dedicamos a fazer”. 

Sendo assim, qual o problema em um produtor de cinema, muito bem conceituado como Daniel Filho, e uma diretora, Cris D'Amato, que já dirigiu sucessos como "Confissões de Adolescente", oferecerem um papel no cinema para uma atriz que carrega consigo milhões de fãs? E qual o problema dessa mesma atriz, que sempre sonhou atuar nas telonas, aceitar participar de um filme que, além de tudo, é a sua cara?

Eu não vejo nenhum! Muito pelo contrário, não precisa ser muito bom de conta pra ver só bons números nessa equação, que não a toa, já rendeu mais de um milhão e duzentos mil ingressos vendidos. 


CENA DO FILME | DIVULGAÇÃO
E o resto do problema então? 

Bem, esse resto não passa de matemática barata querendo inferiorizar um filme que está a altura de muitos outros longas brasileiros voltados ao público infanto-juvenil e adulto. Um filme que, obviamente não é perfeito, mas não fica atrás de nenhuma outra produção nacional, com comparativos lógicos, é claro. 

(Não dá pra comparar um filme nessa temática com o filme Olga ou com Tropa de Elite, por exemplo....cada um no seu quadrado né?!)

Por fim, você deve estar se perguntando, o que as críticas ao filme #ÉFada revelam sobre nós é, que muito mais que "críticos de cinema", nós usamos a internet para tudo e sabemos de sua importância e influência, mas ainda não estamos prontos para reconhecer o talento de alguém que começou sua carreira na internet e se deu bem. 

Ah, é claro, se esse alguém não for a gente mesmo.

CENA DO FILME | DIVULGAÇÃO

Agora que chegamos ao fim desse bate-papo, aproveita pra deixar de lado seus pré-conceitos e corre para o cinema que ainda dá tempo de conferir o filme #ÉFada e me contar o que achou! 


Aproveita que você se animou e confere essa paródia da música do filme que eu fiz lá no meu canal:






Espero que tenham gostado e refletido a respeito.
Abracinho!




Você pode gostar também de:

2 Comentários

  1. Já que te disse que não gosto de ler? Já! Mas esse texto foi UM TAPA NA CARA de muita gente! Você mostrou não só a essência do filme (que eu ainda não assisti), mas relacionou com a "vida real", e olha...acho que você tem razão! Arrasou no texto! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah!! É sempre legal quando alguém que não gosta de ler, lê o que eu escrevo hahaha pq ai eu sei que se gostar é de verdade mesmo. Fico feliz que você tenha gostado, pq eu não conseguia pensar outra coisa a não ser isso quando sai do cinema. <3 Muito obrigada mesmo!

      Excluir

Imagens e Créditos

A maioria das imagens usadas no blog ou são minhas ou foram baixadas do https://www.pexels.com/, uma plataforma que disponibiliza fotos licenciados sob a licença Creative Commons Zero (CC0). Isso significa que elas são totalmente gratuitas para serem usadas para qualquer finalidade legal.