Diariozin

#DIARIOZIN 57 - Sobre recomeços, abandonos e inocência

12:25:00


Enquanto estou aqui caindo de sono, resolvi que minha inspiração para escrever voltaria, em um passado não tão distante eu não conseguia passar um dia sequer sem escrever, não sei o que acontece com a gente, mas o tempo vai passando e, com a vida corrida e estressante, acabamos deixando muitas coisas importantes para trás.
Em 2015 eu comemorei uma década dos meus 15 anos, o que significa que há 10 anos eu já não sou mais tão adolescente assim, mais tão boba assim e nem tão ingênua. Mas ao mesmo tempo significa que sou menos inocente e também menos enérgica. Eu sei que você deve estar pensando “mas Renata, você é nova e tem muita vida pela frente ainda”, eu sei. Mas você sabe que mudou, perdeu o foco e se esqueceu das suas paixões, quando não faz há meses o que costumava não viver sequer um dia sem. No meu caso, escrever. Eu sempre fui fissurada pela escrita, aprendi muito cedo que a junção das letras formavam palavras que formavam frases que formavam e expressavam sentimentos inenarráveis. Com quatro anos escrevia, com 5 anos descobri a paixão por livros e aos seis já uma “REESCRITORA” perfeita. Eram livros e mais livros engolidos semanalmente pela minha gana de criança que quer sempre mais.
Engoli livros, engoli palavras e pouco tempo depois resolvi que seria a hora de vomitar tudo o que engoli por anos e foi assim que me tornei “escritora”, digo isso entre aspas pois para sê-lo no Brasil é necessário que se publique um livro, no meu caso, só de tê-lo escrito me considero assim. Me tornei escritora e por anos compartilhei em um blog minhas angustias adolescentes, meus medos e minhas tristezas. Percebia que na tristeza meus textos eram ricos e na alegria meus textos eram escassos.
Com a adolescência vieram os namoros que levaram de mim a inspiração e também a inocência. Deixei de sonhar com um mundo melhor e passei a aceitá-lo como é. Ano após ano deixava de lado minhas paixões, minhas motivações, que só fui perceber dia desses enquanto lia um livro motivacional. Larguei os livros, larguei o vôlei, larguei a escrita, larguei minhas paixões de lado e fui engolida pela vida adulta e cinza.
Me revoltei com o mundo, dei as costas para o amor e hoje venho aqui me redimir. Sei que um texto desses não é uma redenção, não é um pedido de desculpas decente, mas é o que posso oferecer no momento. Quero me desculpar por ter deixado de lado meus sonhos mais bonitos e por ter aceitado a vida sem nenhum questionamento.
Quero lhe dizer que se a vida lhe quiser roubar os sonhos: IMPEÇA! Levante-se, grite, faça um escândalo e não permita deixar nem por um segundo suas paixões de lado, porque o recomeço é dolorido e pode levar anos.

Pense nisso!
Beijos e até a próxima ;)



Você pode gostar também de:

0 Comentários

Imagens e Créditos

A maioria das imagens usadas no blog ou são minhas ou foram baixadas do https://www.pexels.com/, uma plataforma que disponibiliza fotos licenciados sob a licença Creative Commons Zero (CC0). Isso significa que elas são totalmente gratuitas para serem usadas para qualquer finalidade legal.