Contos e Crônicas

#DIARIOZIN 43 - Uma conversa entre presente e futuro.

17:40:00


Perdi mais uma vez o ônibus das 22h30 e pela quarta ou quinta vez na semana estou chegando em casa perto da meia-noite depois de um dia exaustivo que começou às 6h. Pior do que chegar em casa cansada, é chegar em casa cansada e ter visita.

Aquela bolsa preta e bem básica jogada na minha cama mostra que alguém de fora está aqui, chamo meus pais, mas como sempre a casa vazia e ela responde num grito: “Oiiiiii Renatinha!!!!”. Impossível não me reconhecer naquela voz estridente e que não mudou nadinha.

Sou eu, louca e histérica como sempre.  Tenho 39 anos, continuo com uns quilinhos a mais, mas consegui emagrecer. Nossa, que alívio saber que vou estar inteira perto da casa dos 40. Estou com uma calça jeans (não acredito que ainda tenho corpo para usar um jeans!) e uma blusa branca (ufa, continuo básica) e mais duas novas tatuagens.

Não consegui nem reagir e ela já veio me abraçando e puxando meu cabelo. “Menina, menina, você devia mesmo era começar logo a cuidar desse cabelo. Não imagina o trabalho que vai me dar ainda.”

Dei de ombros e a interrompi. “Posso falar ou você continua a mesma matraca que não escuta ninguém? Tô vendo que vaidade nunca foi e nem vai ser nosso forte mesmo, mas fico feliz em saber que está mais magra, sua pele tá muito melhor e a propósito, tá inteirona ein? Dá nem pra notar que já tem 40. hahaha"

Nos olhávamos curiosas e com os mesmos olhos ariscos de sempre, era fácil perceber que nossa ansiedade ainda era um problema. “Você devia ser mais tranqüila sabia? Desse jeito não vai chegar aos 50 antes de ter um infarto. E a propósito, soube que esse coração não anda muito bem. Devo me preocupar?”

“Ah! Não é nada. Você mesma diz que vai infartar antes do 30, pois saiba que não. Mas você não é mais criança sabia? Devia aprender logo a se cuidar, isso vai custar muitas sessões de terapia ainda. Sem contar que arrumar essa pele que você estragou, foi muito difícil viu?”

Eu aos 49 anos conseguia me deixar mais amedrontada do que meu próprio presente estava me deixando. Será que teria mesmo que ouvir os conselhos de todos os meus amigos e dar mais valor a minha saúde?

Ela continuou...eu queria saber era das novidades...

“Trabalhei um tempo em São Paulo, larguei tudo pra viajar pra Europa uns dois meses. Que sonho né? Achei que não faria isso nessa vida. Eu demorei uns anos pra terminar todas as dívidas que a faculdade deixou, mas tenho vivido a vida que nós sempre quisemos e ufa, finalmente tenho estabilidade."

Eu me mantive quietinha na expectativa de que ela continuasse a me dar pistas sobre nosso futuro...

"Nosso único problema hoje é ainda não consigo controlar meu stress e isso tem feito mal pro meu coração. Nós sabíamos que esse dia ia chegar né? Mas você ainda tem tempo e pode prometer que vai se cuidar mais pra gente chegar aos 49 com esse coraçãozinho firme e forte né? Vai promete logo!”

Acho que aquele foi o momento que mais me preocupou de toda nossa conversa. Adorei saber que vou conseguir realizar alguns sonhos antes de morrer e saber que vou continuar parecendo mais nova. Mas saber que meu coração vai enfraquecer por eu deixá-lo tão sobrecarregado me preocupou e me deu uma vontade enorme de sair correndo. Eu prometi e já fui logo a enchendo de perguntas.

“Olha, me diz uma coisa? Eu to no último ano da faculdade e to apavorada. As coisas não andam muito bem agora. Me diz, tudo vai dar certo? Como vai ser meu tcc? Ah! Me adianta ai algumas coisinhas vai, não me diga que agora você é má?.”

Ela me olhou, franziu a testa com um ar de repreensão. Achei graça, não acreditava que eu continuaria com a mesma cara de brava.

“Mas é claro que não vou contar. Por acaso acha que me tornei estraga prazeres? Só fique tranquila. Respira fundo e saiba, você é capaz. Hoje talvez não perceba, mas um dia vai se dar conta que é uma profissional e tanto. Queria que não fosse aos 30, pode tentar enxergar seu valor antes disso?”

Respirei fundo, odeio ser contrariada, mas entendi que era melhor não saber tantas coisas assim. Ela percebeu minha decepção e logo com um sorrisinho torto (Ah cara, o mesmo!! Aos 39 anos ainda vou ter o sorriso torto, mas com dentes retos. Ufa! Sinal que vou me dar bem com o aparelho..pensei.) falou:

“Só te adianto uma coisa, sua vida vai ser ótima. Todos esses anos que vai viver até chegar aqui onde estou agora serão maravilhosos, toda esse peso que tem carregado. Relaxa ta gata? Jajá vai passar e você vai poder trabalhar com o que gosta. Sabia que eu também dou aula? Tenho 3 salas, duas de primeira série e uma de terceira. Achava que nós nunca íamos conseguir isso, mas hoje é minha distração. Ah, outra coisa. Sabe aquele medo que você tinha da mãe não te amar mais?...bem, deixa pra lá. Melhor você descobrir.”

AHHHHHHHHHHHHHHHHHH! Marvada tagarela, ela sabia que eu odiava surpresas, sou curiosa poxa, porque ela não contou? Tudo bem vai, ta velha e cansada e no mínimo deve me achar uma criança agora.

“Cara, você conseguiu ficar mais chata sabia?”

Ela riu silenciosamente, mais uma coisa que não mudou, e perguntou: “Posso fazer um café? Ao menos isso agora eu sei.” Esta aí uma coisa que me espantou, “Uhul! Meu pai vai ficar orgulhoso, eu vou aprender a fazer café!”.

Concordei, mas como os dias andam corridos acabei adormecendo antes do café ficar pronto, quando acordei ela já tinha ido embora, mas deixou um bilhete.

“Respira fundo e relaxa, porque o que nós vamos viver no futuro vai compensar todos os sapos que você tem engolido. Bjs e não esquece de escovar os dentes!”

Fiquei orgulhosa de mim e mais ansiosa pra saber o que o destino me reserva, mas enquanto esses dias de maré baixa não vêm, vou é seguir meus próprios conselhos pro meu coração viver mais leve, afinal não quero ter um infarto aos 30.

"Até breve, adorei a visita!", me despedi.

Você pode gostar também de:

0 Comentários

Imagens e Créditos

A maioria das imagens usadas no blog foram baixadas do https://www.pexels.com/, uma plataforma que disponibiliza fotos licenciados sob a licença Creative Commons Zero (CC0). Isso significa que elas são totalmente gratuitas para serem usadas para qualquer finalidade legal.