Contos e Crônicas

Ao meu amigo, com carinho.

21:15:00

Um menino e acontecimentos inacreditáveis.
O encontro e a perda de um amor, a tentativa de amar de novo, a traição, a quebra de confiança, a perda do irmão. O tudo junto em uma coisa só! O nome dele era Tom, o cara mais calmo e sarcástico que já conheci na vida. Na verdade, acho que jamais conhecerei outro igual.
Peculiar e preguiçoso, Tom era meu melhor amigo e nos conhecemos em uma época turbulenta e decisiva da minha vida. Tom foi meu apoio!
Sereno, tranquilo ele sabia sempre enxergar o lado bom de tudo.
O cara mais sincero que já conheci, e oportunista também.. Tom era muito especial pra mim. Mas a vida não queria ser justa com Tom e tudo começou ali...
Me lembro como se fosse ontem como nos conhecemos, Tom era o cara mais engraçado da turma e todos paravam pra ouvir suas piadas. Eu as achava idiota, mas ria pra me sentir um pouco mais parte da turma.
Um ano se passou e Tom e eu nos tornamos amigos, até hoje não sei o que nos manteve unidos. Éramos opostos!
Ele falava da vida, do sexo e dos problemas como se eles fossem assuntos fáceis, simples e comuns de serem solucionados ou vividos. Eu sempre cheia de pudor, me recusava a participar das conversas com ele.
Um amor regado a muito sofrimento foi o que nos uniu.
Sofremos juntos por amores opostos. Todos os meus segredos e lágrimas acolhidos no colo de Tom. Ele sofria e muito também, mas tentava me enganar com suas piadas cada vez mais sem graça. Eu não acreditava, nunca me convenceu, mas eu fingia pra que ele se sentisse mais a vontade com a dor.
A leveza de Tom foi levada por esse amor e ele ficou cada vez mais desacreditado. 
Tom deu outras chances pra vida mostrar-lhe que seria boa de novo, mas nada acontecia além de fatos que comprovassem que a vida não seria justa com ele.
Tom perdeu o amor por definitivo, ela saiu do país. Sim, ela o deixou sem nunca ter tido coragem de assumi-lo pra ninguém. Seu choro abafado e seu sofrimento sufocado foram acolhidos em meu colo. Foi a primeira vez que o vi por completo, a primeira vez que vi sua fraqueza.
Tom era um menino perdido, quase nunca sabia onde estavam as meias. Mas sempre se lembrava de datas especiais. Ele era romântico, mas não contem isso a ele... ele jamais aceitaria essa condição.
A vida não era justa com Tom, e em meio a promessas de vida nova, novos sonhos, a notícia: o irmão de Tom foi morto. Vida injusta! 
A tristeza e o cansaço tomaram conta dele, nunca mais consegui encontrar aquela leveza de novo. Eu nunca desisti de Tom, apenas o deixei ficar perdido em sua solidão.
A vida não era justa com ele.
Tom foi traído.
Traído por pessoas e pela vida. Mas uma coisa eu tenho de tom, orgulho.
Orgulho de seu sorriso de canto forçado que busca todos os dias esconder a dor (ele ainda não aprendeu a lidar com ela!). Orgulho de sua inteligência, mesmo que ele quase nunca a utilize para o bem de sí mesmo.
Tom era e é o meu melhor amigo, e hoje mesmo com a vida injusta que leva..
Hoje Tom sorriu e provou a mim, mais uma vez, que mesmo sendo injusta ter amigos como Tom fazem a vida valer a pena.

Você pode gostar também de:

0 Comentários