Vida e Cotidiano

Sou eu e somente eu.

01:26:00

Hoje sou, e somente eu e mais ninguém. Hoje eu quero falar de mim, eu somente só. Eu que durante dias e meses e até, talvez anos se escondeu por de trás dessa capa chamada sorriso. Eu que sempre inventei desculpas esfarrapadas para minhas tristezas, eu que chorei erros passados e mergulhei no meu paradoxo de sentimentos. Hoje somente a mim interessa a história de mim mesma. Exatamente. Quantas noites mal dormidas por pensar muito sem pensar absolutamente nada. Quantas tentativas falhas de falar com Deus para ver se ao menos obtinha uma resposta, que não fosse um sinal, pois este não adiantaria.. mas que fosse sim um estrondoso grito de "Olhe minha filha, Eu estou aqui a cuidar de você." ... Ah, esse sim era o barulho que eu mais esperava escutar. Lógico que uma espera sem espera.. pois nunca me apercebi de esperar tanto. Eê menina confusa que sou, sempre me surpreendendo com as coisas da vida. Menina levada que sempre ofende quem não deve, grita com quem não pode e machuca que não merece. Ah menina, devia era ficar esperta antes que a vida viesse e como uma capoeirista lhe desse uma rasteira. Ah sim, essa menina sou eu, e mais que tudo e contudo sou eu. A menina da mente conturbada, das atitudes impensadas e das palavras embaralhadas. E sim, com certeza a menina mais apática que já conheceu. Eu não, não digo uma palavra que não cause transtornos, eu não faço uma coisa que não atraia ofensas e julgamentos e eu não consigo, realmente não consigo estabelecer qualquer dialogo que se alongue até outro alguém que não seja eu, e somente eu. A menina que quer falar, quer gritar mas não sabe ouvir e muito menos usar as palavras de maneira agradavelmente boa. E não, isso não é uma auto critica.. é um desabafo e talvez até quem sabe uma auto analise. A menina que espera receber rosas no dia da mulher, a menina que espera seu abraço e quando o tem, recua. A menina que deseja mais que tudo ter a felicidade por perto, mas se amedronta só de sentir o cheiro de quem é feliz.



Vai entender essa menina, mulher madura e convencida de que é.
Menina que pensa que sabe tudo, mulher que não pensa e nem sabe.
Vai entender tamanha intensidade, tamanha confusão e pra que de todo esse extremo ser?
Menina falante, menina errante e enfim uma menina como outra qualquer..
se não fosse por uma coisa, essa menina sou eu e somente eu. 
Feita somente de singularidades e extremos opostos.
Mas quem vai entender...?

Você pode gostar também de:

1 Comentários

  1. Sinceramente, achei esse texto foda. Achei intenso e de uma imensidade tão complexa e certa que me surpreendeu. Adorei!

    ResponderExcluir