Contos e Crônicas

Pensamentos Confusos

12:03:00


“E o que resta é sem sentido, fico perdido sem direção...”
O Teatro Mágico - Abaçaiado


Seu minuto de silencio agora pede gritos, seus dias de confusão agora pendem calma. 
Cada dia vivido com pressa agora pede atenção, cada minuto passado agora pede vivencia. Sua vida tem sido atropelada por pessoas e pela própria vida. Seus dias voam sua cabeça não se concentra e em sua estrada só passagens rápidas e inconstantes. Seus minutos mal contados agora pedem que ela se concentre, pedem que ela pense. 

Quantas mudanças têm passado pela menina? Quantas modificações têm atingido seus dias?  Ela mal sabe responder quem ela é agora, na verdade ela nem sabe quem é. 

Na verdade o tempo tem passado tão depressa que a menina mal sabe o que ou como pensar, em cada dia um aprendizado entra pela porta dos fundos e a surpreende com um grito ou apenas um sorriso. 

E as pessoas? E aquelas pessoas que atropelam sua vida sem nem pedir permissão, entram e se sentam na sala principal para um café, exigem atenção, roubam seus pensamentos, tiram sua concentração por uns dias e nada mais, vão-se embora.  Ela já amou de verdade? - ela mesma se pergunta. Quantas vezes seu coração acelerou? Será que a ilusão de se viver iludida, teria iludido sua visão?

Naquela noite, mais uma daquelas noites de muitos pensamentos, ela perceberá que mal conseguia se concentrar na vida, nas coisas lindas que tinha a sua frente. Naquela noite se deu conta de que estava perdendo a sensibilidade para o amor, para as verdadeiras paixões da vida. Cansada resolveu se deitar mais cedo. Antes, aumentou o volume do som e deixando que aquelas palavras naquela melodia entrassem por seus ouvidos e mandassem pra longe aquela sensação de solidão e ao mesmo tempo cansaço.  

Quando se sentiu melhor, com o coração menos apertado e cabeça menos pesada, salvou seu texto, que mais uma vez trazia palavras repetidas de sentimentos reprisados, respirou fundo e sem muito mais pensar adormeceu.






Você pode gostar também de:

0 Comentários